Ex-Alunos

Por onde anda?



Conheça alguns de nossos ex-alunos e veja por ondem andam e o que fazem

Bom dia!Querida Diretora Mª Silvana,

Não sei se vai se lembrar de mim, afinal já se passaram 15 anos… Meu nome é Alexandre Okumura e me formei no Colégio Paulo Freire no Ensino Médio em 2001.

Hoje gostaria de mandar e de receber notícias desse local onde passei 11 ou 12 anos da minha vida! Como estão as coisas

Já faz muito tempo que não passo por ai! A vida adulta nos traz muitos afazeres, preocupações e responsabilidades, por vezes até DEMAIS, mas Deus nos ajuda, através da memória, uma lembrança, uma NOSTALGIA dos “velhos tempos”… Hoje me peguei recordando dos dias letivos…Do Inicio do Colégio (QUANTA LAMA RSRRSR!!), dos amigos… Alguns (POUCOS) até hoje nos falamos e nos vemos e muitos ficaram só naquele ULTIMO dia de aula em 2001! QUANTA saudade! Lembrei dos professores, de algumas aulas (NÃO todas rsrsrs) e acabei entrando no site do Colégio, notei que alguns da “velha guarda” ainda estão por ai: Ariovaldo, Luiz, Sérgio, Regina, Eliana… Por favor MANDE minhas saudações a TODOS esses Mestres que tive na Vida! Me Ensinaram MUITO mais que a grade curricular das quatro paredes de uma sala de aula!

 Estou com 32 anos, me formei em Gestão Empreendedora, na Unip de Jundiaí, Fiz Pós em ADM na FGV e atualmente estou trabalhando na DHL em Louveira, há quase 5 anos! Não tenho o emprego dos Sonhos e nem fiquei milionário, estou BEM longe disso! Rsrsrs E posso confessar que os maiores desafios, conquistas e alegrias que eu tenho na vida hoje são coisas SIMPLES: Dar banho, dar de comer, trocar fraldas, fazer dormir… Um Ser tão pequeno e cheio de VIDA que Deus me deu! Estou casado e com um filhinho que completará UM ano mês que vem! Não tem dinheiro no mundo que pague chegar em Casa e ver o sorriso de um filho! Vejo tantos jovens com tantos planos MIRABOLANTES e as vezes correndo atrás de uma FAMA momentânea, cegos na busca desenfreada pelo bendito dinheiro e esquecendo valores TÃO fundamentais na vida, que mesmo que me pareça não haver, ainda tenho fé que essa geração pode mudar o País! Tenho ainda mais esperança porque o PENSAMENTO do Colégio que me formei ainda está de pé e na ativa!

Não sei é possível, mas se houver interesse e se já existe esse projeto com os ex-alunos, seria possível reunirmos as turmas já formadas um dia, um sábado, um dia da semana a noite relembrar um dia na sala de aula com um dos nossos mestres, contar histórias, lembranças…Reunir as famílias…Não sei! Mas fazer algo bem organizado! Quem sabe…!

Pretendo fazer uma visita AINDA esse ano! Vou me planejar e nas minhas férias, provavelmente em Agosto, passo por ai!

Saudações e um forte abraço a Todos!!

Alexandre Okumura
Turma do 3º ano de  2001

Bom dia!
Vi a publicação no face essa semana e resolvi escrever um pequeno texto sobre todos os anos que passei no Paulo Freire! Espero que gostem.
Obrigada!

Quantas saudades do Colégio Paulo Freire! Quantas memórias incríveis, lembranças maravilhosas! Entrei aos 4 anos e saí aos 12. Aprendi a ler, escrever, contar e até cantar. Mas acima de tudo aprendi a pensar, a analisar, a ser alguém nesse mundo tão grande, tão cheio de oportunidades. Vocês me ensinaram a sonhar alto para então voar longe e correr atrás do que acredito ser o melhor pra mim e para os outros. Vocês me ensinaram que sim, tudo é possível!
Dessa pequena tinha um interesse um tanto diferente: o circo. Tão forte era esse interesse que de brincadeira de criança se transformou em profissão. Ouvi vários ‘você não vai ter dinheiro suficiente’ ou ‘vai ter que morar no semáforo’, mas decidi fazer o que me parecia certo, o que me fazia sentir bem. Hoje, estudo em uma escola de circo na Inglaterra, um curso integral focado em performance e artes circenses. Sem todo o apoio e o estímulo a correr atrás dos meus sonhos que o Colégio Paulo Freire me deu desde pequena, provavelmente não estaria aqui! Serei eternamente grata por tudo o que essa escola me ofereceu. Durante os oito anos que passei com vocês, fiz amizades que vão durar pra vida toda e vivi momentos que sempre me trarão o mais sincero sorriso!
Muito obrigada a todos que de alguma forma ajudaram na minha formação, como pessoa e cidadã!

Tive a oportunidade de estudar durante o Ensino Fundamental 2 no Colégio Paulo Freire. Tinha expectativas positivas quanto à escola, visto os resultados positivos que a minha irmã, também ex-aluna do Colégio, havia alcançado. Hoje, vendo os quatro anos passados no mesmo, percebo que fui surpreendida de forma positiva.

Desde o início os funcionários, no geral, sempre estiveram abertos ao diálogo na resolução de conflitos, sem o autoritarismo tão prejudicial e tão frequente nas escolas.

O Colégio oferecia a liberdade e o protagonismo do aluno na medida certa, sem deixar fugir o foco da boa formação do aluno intelectualmente e como um cidadão consciente. Essa característica da escola é muito benéfica para os alunos, já que nos sentíamos em um ambiente acolhedor e não em uma “prisão”, o que era até favorecido pela localização da escola.

Lembro-me dos Saraus promovidos pela escola que sempre contavam com o apoio de alunos e funcionários. Era sempre uma grande felicidade para nós que realizávamos atividades, como apresentações de teatro, música e dança e também para plateia, de quem sempre ouvíamos muitos elogios.

Outro aspecto interessante que com certeza é um resultado de tudo que foi citado acima, é a proximidade que há entre alunos e professores. Tanto eu como os meus outros colegas de sala tivemos uma relação saudável com a maioria dos professores do Colégio e isso trouxe benefícios para ambas as partes. Havia uma situação confortável na hora de tirarmos dúvidas e resolvermos problemas que surgiam.

Hoje posso dizer, com orgulho, que colho os resultados positivos obtidos durante o tempo em que passei no Colégio Paulo Freire. Na minha atual escola sou uma ótima aluna, consigo acompanhar o conteúdo de todas as matérias e posso dizer que sou uma pessoa melhor, mais consciente graças a todos que foram meus professores e colegas de sala no Colégio.”

Beatriz Guimarães Ribeiro, 15 anos. Atualmente estuda na Etec Vasco Antônio Venchiarutti.